Serra Talhada é palco do Maior Festival de Poesia do mundo!

  Sexta, 08 de janeiro de 2021
  Tribuna Mulungu    |      

    No dia 02 de janeiro de 2021, Serra Talhada foi palco do maior Festival de Poesia do mundo.  Os produtores Culturais Evânia Pereira Nogueira e Iranildo Marques realizaram o VII FESTIVAL VAMOS FAZER POESIA – O Projeto, único no Brasil, contou esse ano com 132 poetas e poetisas de todo Brasil.

    Esse ano, o projeto foi contemplado pela LEI ALDIR BLANC e teve o apoio do Governo Federal, governo Estadual, da FUNDARPE…
    O Festival foi realizado através de uma LIVE pelo Canal do YOUTUBE: TV POESIA DA GENTE Dezenas de poetas de diversos estados do Nordeste estiveram presentes, declamando suas estrofes.

    A LIVE recebeu mais de 1.500 visualizações no YOUTUBE e entre os diversos grupos  do Facebook e em grupos nas suas residências, estima-se mais de 20 mil pessoas assistindo simultaneamente, salientando que a LIVE do VII FESTIVAL VAMOS FAZER POESIA, aconteceu no Hotel das Palmeiras em Serra Talhada-PE, de maneira descontraída e foram lançados  no mesmo evento, dois livros: A COLETÂNEA DE POESIAS DO FESTIVAL COM 132 POETAS e o livro do poeta CAMPEÃO da Edição passada – VI EDIÇÃO, na ocasião o livro: Lavoura íntima do poeta de Limoeiro do Norte-CE – LUIZ GONZAGA MAIA.

    Como acontece em todos os anos, o projeto homenageia um poeta popular em atividade e um poeta popular que partiu para eternidade.

    O poeta homenageado desse ano, foi o Cordelista ARLINDO LOPES – O Popular PIRRAIA da cidade de São José do Egito. E a homenagem póstuma, foi para o poeta  ZETO DO PAJEÚ.

    “Escolhemos Arlindo Lopes porque o Pajeú tinha uma dívida imensa com um dos  maiores poetas da atualidade. Arlindo Lopes – O Pirraia, para mim é um dos maiores nomes da poesia popular nordestina. Ninguém em São José do Egito faz versos melhor que  ele. O povo do berço imortal da poesia, precisa dar valor, reconhecer a importância de quem lutou, honrou e honra seu torrão natal. Arlindo Lopes é um ícone do Cordel Nordestino, é um nome a ser respeitado por quem sabe fazer poesia, uma pena não ser reconhecido no seu torrão natal, mas, como diz o ditado, santo de casa não obra milagres, entretanto, observamos outros “santos” sendo valorizados na terra da poesia sem obrarem 1/3 dos milagres do nosso Poeta Pirraia”. Disse Iranildo Marques.

    O evento foi marcado na tarde do dia 02 de janeiro,  por poetas declamadores e teve um show especial com os poetas repentistas Diomedes Mariano, Edezel Pereira e Jorge Macedo.

    No dia seguinte, no Clube de Campo Rancho das Águas, aconteceu o ápice do evento, onde o mestre cerimonial – Junior Duarte, anunciou os 20 melhores poetas do Festival e a surpresa foi o poeta Luiz Gonzaga Maia, sagrando-se BI-CAMPEÃO no VII Festival.

    Veja abaixo a classificação final:

    CampeãoLuiz Gonzaga Maia, recebeu um cheque ilustrativo que dará direito à publicação de 500 exemplares da obra do artista com 100 páginas.

    Segundo lugar, Jorge Macedo, recebeu um cheque ilustrativo que dará direito à publicação de 300 exemplares da obra do artista com 100 páginas.

    Terceiro Lugar ficou com o poeta Iranildo Marques, entretanto, como o poeta é um dos produtores Culturais do evento, o prêmio foi repassado para a 4ª ColocadaSilmara Feitosa, que recebeu um cheque ilustrativo que dará direito à publicação de 200 exemplares da obra da artista com 100 páginas.

     

Nossos parceiros
Nossos parceiros
Nossos parceiros
Nossos parceiros
SOBRE O SITE PAULO AFONSO | TEM

O site pauloafonsotem é formado por uma ótima equipe de colaboradores que fazem o site andar, deixando o mesmo sempre atualizado com notícias de qualidade para orgulhar cada vez mais todos os nossos internautas! Desde 2010 trazendo conteúdo e informação para você.
QUER ANUNCIAR?

Entre em contato, e faça a sua divulgação conosco! "QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO" Telefone: 75-98845-4011 | 75-99227-3793 ou se preferir E-mail: pauloafonsotem@hotmail.com!
PREVISÃO DO TEMPO

RECENTES POSTS

Todos os direitos reservados - Desenvolvimento: Ewerton Miranda