Desigualdade no trabalho: 1 em cada 4 empresas não tem funcionárias negras, diz pesquisa

  Sexta, 20 de novembro de 2020
  g1    |      

    Dados mostram ainda que 69,4% das companhias entrevistadas não contam com colaboradoras com alguma deficiência física.

    Pesquisa da Triwi, consultoria em marketing digital, mostra que 24% das empresas entrevistadas não têm mulheres negras no quadro de funcionários - cerca de 1 em cada 4. E quase 70% não contam com colaboradoras com alguma deficiência física.

    Segundo o levantamento, 27,4% das empresas entrevistadas contam com mais de 51% do quadro de funcionários representado por mulheres e 53,2% das empresas contam com até 30%. “Infelizmente, a pesquisa nos mostra que ainda existe um enorme abismo na cultura das empresas que precisa ser mudado. As mulheres ainda não têm a mesma oportunidade que os homens nem nenhum tipo de canal de denúncias de assédio”, diz Ricardo Martins, CEO e principal estrategista da Triwi.

    Em relação ao percentual de mulheres negras, a pesquisa aponta que 46,8% das empresas entrevistadas contam com até 10% do quadro de funcionárias representado por mulheres negras, e apenas 3,2% contam com mais de 51% de funcionárias negras.

    Outra questão abordada foi qual o percentual de mulheres que ocupam cargos de chefia. A pesquisa revelou que 27,4% das empresas entrevistadas não possuem mulheres em cargo de chefia e 32,3% das empresas contam com até 10% de mulheres no comando.

    A pesquisa ainda mostra que em 48,4% das empresas entrevistadas as mulheres ganham menos que os homens. Apenas em 3,2% das empresas as mulheres ganham mais que os homens e em 19,4% das empresas as mulheres ganham igual aos homens.

    Sobre mães no mercado de trabalho, o levantamento mostra que 35,5% das empresas possuem até 10% do quadro composto de funcionárias que são mães. Outros 32,3% possuem entre 11% e 30% delas. E em 9,7% não há empregadas que são mães.

    A pesquisa apontou que o nível de escolaridade das mulheres nas empresas é alto - 79% contam com mulheres com nível superior ou pós graduação.

    Para Tricia Martins, co-fundadora da Triwi, a pesquisa apontou que as mulheres ainda têm um longo caminho pela frente. "Ainda há empresas muito tradicionais, em que mulheres não são escolhidas para ocupar cargos de alto escalão, mesmo possuindo as qualificações necessárias", comenta.

    Em relação à faixa etária, em 48,4% das empresas, a média de idade das mulheres é de 30 a 40 anos, em 27,4%, de até 30 anos, e em 17,7%, de 40 a 50 anos.

    Ainda de acordo com o levantamento, apenas 9,7% das empresas possuem algum canal exclusivo para denúncias relativas a assédio sexual.

    A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 17 de agosto com 2.542 empresas dos setores de serviços (53,2%), indústria (30,6%) e comércio (16,1%), das regiões Sudeste (45,2%), Centro-Oeste (14,5%), Sul (17,7%), Norte (11,3%) e Nordeste (11,3%) - 45,2% delas possuem mais de 500 funcionários e 27,4%, entre 2 e 50 empregados.

Nossos parceiros
Nossos parceiros
Nossos parceiros
Nossos parceiros
SOBRE O SITE PAULO AFONSO | TEM

O site pauloafonsotem é formado por uma ótima equipe de colaboradores que fazem o site andar, deixando o mesmo sempre atualizado com notícias de qualidade para orgulhar cada vez mais todos os nossos internautas! Desde 2010 trazendo conteúdo e informação para você.
QUER ANUNCIAR?

Entre em contato, e faça a sua divulgação conosco! "QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO" Telefone: 75-98845-4011 | 75-99227-3793 ou se preferir E-mail: pauloafonsotem@hotmail.com!
PREVISÃO DO TEMPO

RECENTES POSTS

Todos os direitos reservados - Desenvolvimento: Ewerton Miranda